Desinsecta Fechar

Saiba Mais Sobre as Pragas

Tipos de aranha

Aranha armadeira (Phoneutria sp) – Considerada a mais agressiva do mundo, a armadeira ergue-se apoiada sobre as pernas traseiras e salta sobre o agressor, que muitas vezes é atacado sem saber. Costuma viver em locais onde existem bananeiras, lenhas, telhas e tijolos empilhados e terrenos baldios. Tem hábitos noturnos e não tem moradia fixa podendo entrar em residências e, ao amanhecer, abrigar-se em sapatos, botas e roupas.

Seu veneno atua direto no sistema nervoso central.

Aranha marrom (Loxosceles sp) – É a aranha brasileira que possui veneno mais ativo. Tem uma coloração marrom esverdeada, seu corpo total raramente ultrapassa os 3cm. É uma espécie de aranha doméstica, encontrada em locais escuros, quentes e úmidos como quina de pias, rachaduras de parede, livros, telhas e tijolos empilhados. Tem como característica a teia similar a um chumaço de algodão. Seus acidentes ocorrem quando ela penetra dentro da roupa e, ao vestir, são pressionadas e picam. Produzem dor pouco intensa no momento da picada, mas entre 12 a 24 horas após, ocorrem bolhas no local da picada, escurecimento e necrose na pele. Também pode ocorrer escurecimento da urina, febre, vermelhidão e coceira na pele.

O tratamento da picada requer soroterapia específica e acompanhamento médico.

Aranha doméstica comum (Pholcus phalangioides) – Apresentarem pernas muito longas, corpo pequeno e circular. Produzem grandes teias irregulares nos cantos de paredes, teto ou atrás de móveis. Não possuem glândulas de veneno, sendo inofensivas para o ser humano.

Aranha de parede (Selenops spixi) – Vivem atrás de armários, quadros de parede, bibliotecas. Alimentam-se de outros insetos domésticos como aranhas menores, traças, mocas, etc. Não possuem glândulas de veneno, sendo inofensivas ao ser humano.

Aranha de jardim (Lycosa sp) – As aranhas de jardim são pouco agressivas e têm hábitos diurnos. O animal adulto mede entre 2 a 3 cm de corpo e 5 a 6 cm de envergadura de pernas. Esta espécie não faz teia. Facilmente encontradas perto do peitoril das janelas pelo lado externo, tentando entrar na residência para se proteger do frio. A picada é dolorida, mas, normalmente, não evolui para casos mais graves.

Mantenha as aranhas longe da sua casa ou empresa

As aranhas entram nas casas na maioria das vezes no outono, quando procuram um local quente para passar o inverno.

Há várias formas de prevenir acidentes com aranhas em sua casa:

  • Aspirar o chão regularmente.
  • Remover as teias que encontrar.
  • Preencher as frestas e pequenos vãos das paredes e os espaços debaixo das portas para impedir a entrada.
  • Afastar os potenciais refúgios de sua casa, como pilhas de lenha e de outros materiais.
  • Utilizar iluminação que seja menos atrativa para os insetos que as aranhas comem.

Existem três espécies que são habitualmente encontradas em casas:

  • Barata Alemã– 12 a 15mm. São castanhas e têm duas faixas escuras no tórax. Os dois sexos têm asas do comprimento do corpo. Essas baratas preferem correr e subir em móveis e paredes.
  • Barata Oriental– 20 a 30mm. São castanhas-escuras ou pretas. As fêmeas têm asas subdesenvolvidas e os machos têm asas que lhes cobrem ¾ do comprimento do abdomen. Essas baratas preferem correr e subir em móveis e paredes.
  • Barata Americana– 20 a 30mm. A barata americana é castanha-avermelhada e tem uma área amarela-pálida nas costas. Estas baratas preferem locais escuros e úmidos.

Todas as espécies aparecem em maiores números nas cozinhas e outros locais onde existam produtos alimentícios.

Sinais de que as baratas estão em sua casa ou empresa:

  • Presença de insetos vivos– as baratas são noturnas e escondem-se durante o dia. É mais provável encontrá-las quando se acende a luz da cozinha durante a noite.
  • Excrementos– as baratas deixam excrementos na forma de partículas pretas com menos de 1 mm de largura e comprimento variável.
  • Odor– as infestações de baratas produzem um odor característico e desagradável.
  • Danos– as baratas são onívoras e alimentam-se de uma extensa gama de produtos de todas as origens.

Mantenha as baratas longe de sua casa ou empresa:

– Faça a vedação de todos os pontos de entrada (espaços embaixo das portas e em volta de tubulações que tenham acesso para o exterior ou para propriedades vizinhas);

– Feche fendas e cavidades das paredes, atrás de rodapés ou até atrás de tomadas elétricas;

  • Guarde alimentos em recipientes fechados ou sacos de plástico;
  • Limpe restos de alimentos ou líquidos que deixar cair;
  • Limpe embaixo de geladeira, fogão, etc., para remover todos os vestígios de alimentos;
  • Lave imediatamente todas as louças e todos os talheres sujos;
  • À noite, guarde a comida e a água dos animais domésticos;
  • Mantenha o lixo bem vedado;
  • Não deixe resíduos expostos na pia da cozinha durante a noite.

Tipos de carrapato

No Brasil, os carrapatos mais comuns são:

Carrapato-de-boi (Boophilus microplus) – Transmite ao gado a Babesiose.

Carrapato-de-cavalo ou carrapato estrela (Amblyomma cajennense) – É o que mais comumente parasita o homem. Também infesta mamíferos domésticos e silvestres e aves. Em sua forma adulta, ele é conhecido como carrapato estrela.

Carrapato-de-galinha (Argas miniatus) – Transmite aos galináceos a bouba, doença infecciosa semelhante à sífilis.

Carrapato-vermelho-do-cão (Rhipicephalus sanguineus) – Típico de cães e gatos. Os adultos preferem instalar-se na pele do cão. Sobem pelas cercas e muros, e espalham-se pelo canil, casa, etc. É de fácil controle.

Mantenha os carrapatos longe de sua casa ou empresa

  • Lave com frequência os abrigos de animais domésticos, passando desinfetante após a lavagem;
  • Vistorie com frequência os animais domésticos, principalmente quando estiverem inquietos e com muita coceira;
  • Faça a vedação de frestas e buracos em pisos e paredes, principalmente, quando localizados nos abrigos de animais domésticos;
  • Mantenha aparada a vegetação de jardins e quintais próximo às residências;
  • Controle os carrapatos dos animais domésticos com a orientação de um médico veterinário.

Tipos de cupim

Existem duas principais espécies muito importantes no meio urbano:

Cupim subterrâneo (Coptotermes gestroi) – Popularmente conhecidos como “cupins de solo” ou “cupins de parede”. Essa espécie é originária da Ásia e foi introduzida no Brasil nas décadas de 20 e 30, provavelmente através da chegada de cargas contaminadas aos portos brasileiros ou por meio de infestações nos próprios navios que aportavam em nosso litoral.  Os ninhos de cupins podem ocorrer em diferentes locais sem contato direto com o solo, ou subterrâneos. Eles são formados por uma mistura de fezes, saliva, solo e partículas de madeira.

Cupim de madeira seca” (Cryptotermes brevis) – Contrói seus ninhos em madeiras estruturais de construções ou nas mobílias das casas. Esses cupins estão distribuídos praticamente por todo mundo. As colônias não são muito grandes, apresentando centenas de cupins que vivem nas galerias e túneis escavados na própria peça de madeira da qual se alimentam.

Estas duas espécies citadas podem causar sérios prejuízos e podem provocar acidentes como curto-circuito, incêndios, desabamentos, etc.

Mantenha os cupins longe de sua casa ou empresa:

  • Madeiras nobres como peroba, ipê e aroeira são mais resistentes aos ataques dos cupins;
  • Utilize madeiras tratadas evitando o ataque dos cupins. O tratamento da madeira geralmente mostra-se eficaz como medida preventiva contra o ataque de cupins, entretanto, tal procedimento jamais deve ser realizado por um leigo ou com produtos que não sejam indicados para esse fim, pois o risco de intoxicação é alto;
  • Evite a presença desnecessária de material sem uso na construção, limpando o terreno, removendo totalmente troncos, raízes e restos de madeira que estejam no local;
  • Evite o contato direto da madeira com o solo, pois elas podem servir como atrativo para os cupins que estejam transitando pelo local;
  • Após o término da obra, deve-se eliminar rachaduras e frestas presentes na edificação, pois elas poderão servir de entrada para instalação de novas colônias;
  • Faça o tratamento químico preventivo.

Tipos de escorpião

Os escorpiões são animais venenosos, mas pouco agressivos. São predadores e alimentam-se principalmente de  insetos e, principalmente, baratas. Com hábitos noturnos, os escorpiões se escondem durante o dia em locais quentes, escuros e úmidos, como cascas de árvore, pedras, troncos podres, madeiras empilhadas, entulhos, telhas e atrás de móveis. Muitas espécies vivem em áreas urbanas e encontram abrigo e alimentação dentro e próximo das casas. Os escorpiões entram nas casas principalmente pelas redes de esgoto sanitário e fluvial, instalações elétricas e telefônicas, fosso de elevador ou frestas. Também podem acompanhar materiais de construção e jardinagem.

No Brasil, as espécies mais comuns são:

Escorpião-marrom ou Escorpião-preto (Tityus bahiensis) – Mede 6 cm de comprimento, tem coloração muito escura e patas castanhas. Esta espécie é responsável, no Brasil, pelo maior número de casos de acidentes escorpiônicos em áreas rurais.

Escorpião-amarelo (Tityus serrulatus) – Encontrado no Sudeste do Brasil, e a principal espécie que causa acidentes graves. Possui pernas e cauda na cor amarelo-clara, e o tronco escuro. Mede até 7 cm de comprimento.

Mantenha os escorpiões longe de sua casa ou empresa

  • Verifique o nível de infestação de pragas (ex. baratas) que estejam atraindo o escorpião para a área social ou urbana, e execute tratamento para esta praga;
  • Remova telhas, galhos, madeiramento e qualquer tipo de entulho nas proximidades das residências e empresas;

Entre em contato com uma empresa de controle de pragas profissional para avaliar e corrigir este problema.

Tipos de formigas

Há milhares de espécies de formiga diferentes, mas as mais comuns são:

Formiga Lava-pés – Presente em todo o Brasil essa formiga, cientificamente conhecida como Solenopsis saevissima, é considerada, do Oiapoque ao Chuí, uma praga no ambiente urbano.
Essas formigas respondem por 35% das picadas de insetos em humanos: com a mandíbula cortam a pele da vítima e injetam veneno com propriedades tóxicas, que provoca dor intensa. Além de dolorida, o seu ataque provoca bolhas, alergias e até choque anafilático. As picadas nunca são solitárias. Em questão de segundos, sobem rapidamente e em quantidade pelas pernas das pessoas.

Diferente de outras espécies, que pela restrição de recursos e de alimentação não encontram tudo o que necessitam para a sua sobrevivência em centros urbanos, as formigas lava-pés prosperam muito em cidades.
As formigas lava-pés são predadoras vorazes. Elas se aproveitam de restos de alimentos variados, à disposição no ambiente. O próprio lixo gerado é grande fonte de recursos. Nos jardins, elas se alimentam da fauna de insetos.

Formiga de Jardim – as formigas obreiras medem 4 a 5 mm e a rainha pode medir até 15 mm. As rainhas põem os ovos durante a primavera em ninhos que geralmente fazem no solo ou no interior das paredes de tijolos. A formiga de jardim é atraída por alimentos doces e libera feromônios para marcar um percurso que lhe permite voltar ao ninho e que conduz as outras formigas às fontes de alimento.

Formiga Faraó – as formigas operárias medem 1,5 a 2 mm e a rainha entre 4 e 6 mm. Tanto as operárias como a rainha são castanhas-amareladas. A formiga faraó provém dos trópicos e necessita de calor artificial para conseguir sobreviver e reproduzir-se. É mais comum encontrá-la em grandes edifícios aquecidos, como hospitais, hotéis e blocos de apartamentos. Como esta formiga se alimenta principalmente de alimentos em decomposição, é portadora dos germes com que entra em contato nos locais onde se alimenta.

Formiga do Fogo – as operárias medem 3 mm e a rainha até 6 mm. Estas formigas são castanhas-avermelhadas e vivem em colônias de 100.000 formigas ou mais. Cada colônia é liderada por uma rainha que deposita entre 150 e 200 ovos por dia. As formigas do fogo vivem em montículos de até 60 cm de altura que costumam construir em espaços abertos. As formigas do fogo ferroam tanto animais como pessoas e a ferroada delas pode ser extremamente dolorosa.

Formigas Cortadeiras – As formigas cortadeiras são as saúvas (gênero Atta) e quenquéns (gênero Acromyrmex), elas possuem o hábito de cortar e transportar vegetais para dentro dos ninhos. Cortando folhas de plantas, inclusive as cultivadas, a formigas cortadeiras causam perdas econômicas vultosas à agricultura e à pecuária, porque diminuem ou aniquilam a produção.

SAÚVAS
Os formigueiros (sauveiros), são formados por terra solta na superfície do solo (murunduns) e pelo acúmulo da terra retirado pelas formigas das câmaras (panelas). Neste monte de terra solta são encontrados orifícios (olheiros) onde são observadas as saúvas em atividade.
As saúvas operárias apresentam 3 pares de espinhos dorsais e tamanhos variados, o tamanho das saúvas pode variar entre 12 e 15 mm de comprimento.

QUENQUÉNS
Seus ninhos são pequenos, geralmente apresentando uma única panela, cuja terra solta aparece ou não na superfície do solo. Algumas espécies fazem o ninho superficialmente coberto de palha, fragmentos e resíduos vegetais, enquanto outras fazem o ninho subterrâneo. As quenquéns operárias possuem 4 a 5 pares de espinhos dorsais e o tamanho de uma quenquém pode variar entre 8 e 10 mm de comprimento.

Mantenha as formigas longe de sua casa ou empresa

As formigas invadem ambientes em busca de alimentos.
Para mantê-las distantes, faça o seguinte:

  • Tampe sempre os alimentos – nunca se sabe por onde andaram as formigas antes de passearem por cima dos seus alimentos!
  •  Limpe imediatamente todos os vestígios de alimentos ou líquidos que deixar cair.
  • Limpe as áreas que ficam debaixo dos eletrodomésticos de cozinha para remover todos os vestígios de alimentos.
  • Certifique-se de que todas as lixeiras têm tampas. Mantenha todos os resíduos de alimentos bem fechados ou tapados.
  • Assim que os seus animais de estimação acabarem de comer, limpe tudo imediatamente para que não fiquem vestígios de alimentos.
  • Vede todos os possíveis acessos na estrutura do imóvel.

Há várias espécies de moscas diferentes, mas as mais comuns são as seguintes:

  • Mosca Doméstica – As adultas podem ter entre 6 e 7 mm. As moscas domésticas fêmeas depositam 400 a 600 ovos sobre matérias em decomposição ou fezes, de onde saem mais tarde as larvas de mosca. São atraídas por alimentos ou resíduos orgânicos.
  • Mosca Varejeira – Medem entre 6 e 12 mm de comprimento e costumam ter uma coloração metálica entre o azul e o verde, mas também podem ser pretas ou cinzentas. A presença de grandes quantidades deste tipo de mosca numa casa ou empresa indica muitas vezes a existência de um animal morto (um rato, por exemplo).

Mantenha as moscas longe de sua casa ou empresa:

  • Limpe restos de alimentos ou líquidos que deixar cair;
  • Limpe debaixo dos eletrodomésticos de cozinha para remover restos de alimentos;
  • Tampe todos os recipientes de lixo;
  • Acondicione alimentos abertos em recipientes com tampas;
  • Não deixe fezes e demais sujeiras dos animais de estimação espalhadas.

Tipos de Mosquitos 

Os mosquitos são encontrados da região dos trópicos até o ártico. Os adultos têm cerca de 5 mm de comprimento. Encontram-se mais nas proximidades de águas paradas, onde suas larvas se desenvolvem.

Mosquitos

Insetos que frequentam as casas em busca de sangue fresco (também chamados de pernilongos, muriçocas, carapanãs, etc.).
Alguns deles são responsáveis pela transmissão de sérias zoonoses como a Malária, a Febre Amarela, Dengue, a Filariose, certas encefalites, a Leishmaniose, etc.

As larvas e as pupas dos mosquitos vivem na água. As diversas espécies adaptaram-se para viver, praticamente, em todo tipo de água, exceto em correntes de fluxo rápido e em proporções abertas de grandes corpos de água onde existe a ação de ondas.

Entre os mosquitos, destacamos aqueles da espécie Aedes aegypti. Muito parecido com um pernilongo comum, o Aedes aegypti é mais escuro e possui listras brancas pelo corpo e pelas pernas. Tem o costume de picar as pessoas durante o dia. Vive e se reproduz em ambientes com água limpa, próximos a habitação humana. Coloca seus ovos na parede de recipientes com água, como: vasos, tambores, pneus, etc. Os ovos permanecem viáveis até 1 ano sem contato com a água, e assim que tiverem em condições favoráveis, as larvas eclodem e dão continuidade ao ciclo de vida do mosquito.

 

Tipos de pulgas

Há muitas espécies de pulgas, mas a maior parte tem entre 2 e 3 mm de comprimento e cor vermelha ou castanha.

As pulgas adultas perfuram a pele dos mamíferos e das aves para se alimentarem de sangue e as larvas alimentam-se da matéria orgânica que costuma existir em tapetes e roupa de cama, sendo que uma boa higiene pode atrasar o ciclo de vida delas.

Os casulos das pulgas podem permanecer em estado latente durante mais de dois anos e são despertados pelas vibrações causadas pelos passos das pessoas.

É comum as infestações de pulgas manterem-se latentes numa casa vazia e despertarem apenas quando a casa volta a ser habitada.

As picadas de pulga apresentam um ponto escuro pequeno e uma área avermelhada à volta. O inchaço provocado é menor do que nas picadas de muitos outros insetos. Uma pulga costuma picar duas ou três vezes na mesma área para procurar sangue.

A picada de pulga sente-se imediatamente, mas não é particularmente dolorosa. A coceira resultante da reação do corpo é que causa desconforto.

Mantenha as pulgas longe da sua casa

Se possui animais de estimação, é essencial impedir que as pulgas se instalem nos tapetes e na roupa de cama:

  • Aspire os tapetes e os objetos onde os animais de estimação dormem para remover as pulgas e os ovos delas. Tenha cuidado quando abrir o saco do aspirador, pois as pulgas ainda estarão vivas. Descarte-o logo em seguida.
  • Lave os objetos onde os animais de estimação dormem, como cobertores ou mantas, todas as semanas e de preferência acima de 50 °C para matar as pulgas.
  • Tenha cuidado quando transportar roupas de cama, tapetes, etc., para evitar espalhar os ovos das pulgas.
  • Considere colocar as camas dos animais de estimação em locais sem tapetes ou carpetes.

Tipos de ratos

Camundongo – O camundongo geralmente vive na terra e escava tocas, mas também habita despensas, móveis pouco usados, estantes de livros, gaveteiros, etc. É essencialmente caseiro, procura viver a menos de 10 metros da fonte de alimento. É muito pequeno, pesa entre 15 e 25g.

Camundongos podem tornar-se um sério problema na sua residência e além de causarem danos materiais podem colocar em risco a sua saúde.

Ratazana – A ratazana representa um sério risco para a saúde de pessoas e animais de estimação. É transmissora de doenças como Salmonelose, Leptospirose, E.coli e Tuberculose. Também é portadora de pulgas e ácaros e pode causar reações alérgicas agudas.

Sinais da presença de ratos

Os sinais mais típicos da presença de ratos são os seguintes:

  • Ruído da movimentação dos roedores no teto ou nas paredes;
  • Os ratos deixam fezes junto às paredes e nas áreas onde são mais ativos e se alimentam, como armários de cozinha, debaixo do lava-louças, etc;
  • Os ratos deixam um rastro que libera odor semelhante ao amoníaco;
  • Os ratos têm dentes que crescem continuamente e são capazes de roer madeira, plásticos, cabos e outros materiais duros.

Mantenha os ratos longe de sua casa ou empresa:

  • Não deixe resíduos de alimentos expostos;
  • Mantenha o lixo acondicionado corretamente;
  • Não ração de animais expostas;
  • Elimine restos de construção que possam servir de abrigo.

Ninhos de vespas

Tenha cuidado quando for mexer próximo aos ninhos de vespas. Estes insetos podem atacar em grandes números se forem incomodados.

Se houver uma grande quantidade de vespas na sua casa ou no seu jardim, é provável que haja um ninho próximo.

Um só ninho pode abrigar milhares de vespas que podem atacar em enxame se forem incomodadas. Se o ninho representar algum risco para pessoas devido à sua localização, então esse ninho deve ser removido (verifique sempre a legislação local).

Entre outros locais, as vespas costumam fazer os seus ninhos debaixo de calhas, de telhados, em sótãos ou em armazéns.